Apresentação

O indivíduo de hoje é, cada vez mais, um todo, fruto de muitas experiências sociais e da rápida evolução tecnológica e do poder dos meios de comunicação. Esta nova realidade revela-nos que o conhecimento não pode ser compartimentado, mas, pelo contrário, deve entrelaçar todos os saberes, numa perspetiva multidisciplinar e cooperativa.
Nesta base, a aprendizagem pressupõe uma nova capacidade de aprender a aprender e o conhecimento uma construção autónoma e permanente, ao longo da vida. Na sociedade de informação de hoje, tudo se desenrola em rede: as comunicações, as parcerias, os negócios, as partilhas, os serviços, a formação e até os afectos…
A criação da RBI teve por base os princípios enunciados, dando visibilidade às inúmeras vantagens do trabalho em rede, nomeadamente:

• Partilha, rentabilização e diversificação de recursos
Os utilizadores de uma rede de bibliotecas têm ao seu dispor um número maior de recursos e mais diversificados. Basta, para isso, aceder ao catálogo da RBI, e dirigir-se à Biblioteca para solicitar o documento pretendido. Onde quer que se encontre, chegará às mãos do utilizador, num curto espaço de tempo.

• Normalização de procedimentos
O trabalho em rede, sob a orientação de especialistas, uniformizou e optimizou a resposta da procura da informação. Promoveu, também, a credibilidade do trabalho do professor bibliotecário, imprimindo-lhe um carácter mais técnico e menos “curioso”, em complemento com a sua função de educador.

• Formação permanente dos recursos humanos
Todos os intervenientes no processo se valorizam, bilateralmente, isto é, as equipas das BE (Bibliotecas Escolares) têm adquirido muitos conhecimentos técnicos e em áreas importantes de promoção de saberes, mas os bibliotecários também alargaram os horizontes na área pedagógica e no conhecimento da evolução dos utilizadores nas primeiras etapas da sua vida.

• Desenvolvimento de parcerias
Este aspeto do trabalho em rede é importantíssimo porque permite o enriquecimento de ações conjuntas que, isoladamente, seriam pouco profícuas, incómodas e, por vezes, impossíveis, principalmente ao nível das escolas.

• Divulgação de experiências e saberes
Através do trabalho em grupo ou partilha de informação, via Web, é possível enriquecer o trabalho realizado. A abertura ao mundo produz conhecimentos em cadeia e experiências fantásticas. Permite ainda a melhoria dos processos de trabalho.
Em conclusão, todos beneficiamos com o trabalho estruturado em rede: os utilizadores porque beneficiam de melhores e mais eficazes serviços, os professores bibliotecários (equipas) porque se sentem apoiados e podem valorizar a sua ação junto da comunidade e os bibliotecários porque têm a possibilidade do contacto direto com o mundo da pedagogia e, por conseguinte, uma atuação mais prática e, porventura, mais apaixonante.
Atualmente, a RBI – Rede de Bibliotecas de Ílhavo está dispersa em três agrupamentos escolares: Gafanha da Encarnação, Gafanha da Nazaré e Ílhavo.